MNE de Angola "não confirma" que Presidente tenha tido um AVC

Ajustar Comente Impressão

"Você sabe que, na vida de todos nós, há alturas em que não nos sentimos muito bem", disse, esta segunda-feira. Mas ele está bem.

A primeira expressão utilizada por Chikoti para iniciar a resposta foi "non, non, ça va", que no contexto corresponde ao nosso '´lá está'.

À rádio francesa RFI pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola, Georges Chikoti, recusou-se a comentar relatos de o chefe de Estado angolano tenha sofrido um ataque cardíaco.

"O presidente Dos Santos faz exames regulares na Espanha, por isso é perfeitamente normal que ele esteja lá", acrescenta.

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola foi entrevistado pela RFI, ao telefone, pelo jornalista Christophe Boisbouvier.

A especulação em torno do estado de saúde do presidente angolano aumentou nas últimas semanas devido ao adiamento do seu regresso a Luanda.

Perante a ausência de informação, vários responsáveis angolanos tinham-se escusado, nos últimos dias, a fazer qualquer comentário a rumores ou a esclarecer o cariz da visita por parte do Presidente.

Antes desta viagem, José Eduardo dos Santos convocou, por decreto presidencial de 25 de abril, as eleições gerais em Angola para o dia 23 de agosto próximo, que servem para eleger, além dos deputados à Assembleia Nacional, também, por via indireta, o novo chefe de Estado, eleição à qual já não concorre, após quase 37 anos no poder.

Numa destas mensagens, Isabel dos Santos questiona "com que propósito continuar a insistir em divulgar notícias falsas sobre a saúde do #PRAngola", ilustrando-a com a imagem "Notícias Falsas". O ministro da Defesa, João Lourenço, de 63 anos, deverá substituir Eduardo dos Santos na liderança.

Comentários