Combatentes sírios tomam partes da "capital" do Estado Islâmico

Ajustar Comente Impressão

A agência oficial da Síria, a Sana informou, este domingo, que o exército sírio bombardeou vários postos militares de combatentes do grupo extremista em Raqa, e que, na sequência dos ataques, vários radicais foram mortos ou ficaram feridos, mas não dá qualquer indicação de que Al-Baghdadi tenha sido uma das baixas do grupo.

A ofensiva terrestre contra Raqa, principal reduto sírio do grupo extremista Estado Islâmico, começou na segunda-feira passada, sob o comando das Forças Democráticas da Síria (FSD), lideradas por milícias curdas e apoiadas pelos Estados Unidos.

A agência de notícias Amaq, que é tida como associada ao estado Islâmico, terá mostrado um vídeo de um corpo que se diz ser o de al Baghdadi. Não é, porém, a primeira vez que surgem notícias sobre a morte do dirigente radical islâmico.

Abu Bakr al-Baghdadi, 46 anos, é natural do Iraque e líder do Estado Islâmico desde 2013.

O líder do grupo terrorista é um dos homens mais procurados do mundo, existindo um prémio de 25 milhões de dólares pela sua captura. "É uma figura mediática que tem um cargo chamativo mas cujo objectivo é apenas attrair dinheiro de patrocinadores e cativar jovens para as suas fileiras".

Comentários