Incêndio coloca habitações em risco em Pedrógão Grande

Ajustar Comente Impressão

As outras três pessoas morreram por inalação de fumos, no concelho de Figueiró dos Vinhos, acrescentou o secretário de Estado, em declarações aos jornalistas em Pedrógão Grande. Dos 14 feridos civis 10 estão em estado grave.

"Foi criado um posto do INEM no centro de saúde para poder socorrer quem for preciso. Temos quatro frentes ativas, três das quais com uma violência muito grande" e "há localidades afetadas que ainda não conseguimos determinar porque não se consegue entrar nem na floresta nem nos caminhos para as aldeias", informou ainda o secretário de Estado.

Várias habitações estão em risco na vila de Pedrógão Grande, concelho de Pedrógão Grande, distrito de Leiria, disse hoje à agência Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários locais e da Guarda Nacional Republicana, por volta das 17:00.

Os bombeiros têm sentido muitas dificuldades no combate às chamas, neste que foi o dia mais quente do ano. Existem aldeias cercadas e há falta de bombeiros. "Estamos a todo o custo a ver se nos chegam bombeiros de Lisboa", realçou o presidente da Câmara, visivelmente abalado, descrevendo a situação como "bastante dramática".

Em S. Paulo, o Estadão e a Folha também acompanharam a situação, com fotografias e a contabilização do número de vítimas que ia sendo apurado. As chamas em Pedrógão Grande, na região de Leiria, fizeram este sábado 19 mortos e pelo menos 20 feridos.

"Temos muito medo que o fogo venha por aí abaixo e nos atinja", disse também Palmira Coelho, antes de se refugiar em casa para proteger os seus bens.

O site da Autoridade Nacional de Proteção Civil informava, há cerca de uma hora, para a existência de dois incêndios, um em curso e outro numa fase já de conclusão. Um incêndio em resolução significa, de acordo com a Protecção Civil, que não há perigo de propagação além do perímetro já atingido.

Comentários