PJ detém Hermínio Loureiro e presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis

Ajustar Comente Impressão

O presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, Isidro Figueiredo, e o ex-presidente Hermínio Loureiro, foram detidos por suspeitas de crimes de corrupção activa e passiva, prevaricação, peculato e tráfico de influência, disse esta segunda-feira à Renascença fonte da PJ.

Cerca de 90 elementos da Polícia Judiciária e vários magistrados do Ministério Público participaram na operação "Ajuste Secreto".

Hermínio Loureiro, vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol e antigo presidente do Conselho Metropolitano do Porto, renunciou em dezembro de 2016 ao mandato de presidente da câmara de Oliveira de Azeméis (eleito pelo PSD), não avançando com nenhuma razão em concreto para justificar a decisão.

A operação, denominada "Ajuste Secreto", resultou de uma investigação dirigida pelo Ministério Público de Santa Maria da Feira, estando em causa a realização de obras "manipulando as regras de contratação pública", refere um comunicado da PJ.

A Polícia Judiciária, em comunicado, informa que foram feitas buscas em cinco clubes de futebol local. Os suspeitos serão presentes a primeiro interrogatório judicial à competente autoridade judiciária para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas. Hermínio Loureiro anunciou a demissão de presidente da câmara, cargo para que havia sido reeleito em 2013, por entender "que é muitas vezes mais importante saber sair da cena política do que a ela se apresentar".

Entretanto, foi divulgado que além da Câmara de Oliveira de Azeméis, também as de Matosinhos, Gondomar, Estarreja e Albergaria-a-Velha foram alvos de buscas. Com ele, foi também detido o actual presidente da câmara, Isidro Figueiredo, acrescenta a agência Lusa. Uma delas é a de Oliveira de Azeméis.

A Policia Judiciária adianta ainda que os detidos têm idades compreendidas entre os 40 e os 60 anos, sendo um autarca, um ex-autarca, um funcionário camarário e empresários de profissão.

Hermínio Loureiro é vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol e do Comité Olímpico de Portugal, integrando a direção da primeira e a comissão executiva do segundo.

Comentários