DIAP de Lisboa investiga eventual fuga de informação no exame de Português

Ajustar Comente Impressão

O presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, Filinto Lima, não esconde a surpresa com a situação, porque à partida este é um sistema bastante fechado.

Em causa está uma gravação de áudio em que se ouve uma suposta aluna a informar que sabe o que irá sair no exame de Português, informando quais as matérias em causa.

Na gravação, que segundo consta parece ter sido realizada por uma aluna que ainda não se conhece a identificação, pode ouvir-se a estudante a dizer: "Ó malta, falei com uma amiga minha cuja explicadora é presidente do sindicato de professores, uma comuna, e diz que ela precisa mesmo, mesmo, mesmo só de estudar Alberto Caeiro e contos e poesia do século XX".

Basicamente, ela sabe todos os anos o que é que sai e este ano inclusive. "E pediu para ela treinar também uma composição sobre a importância da memória.", ouve-se no áudio feito por uma aluna e divulgado pelo jornal Expresso.

O Insituto de Avaliação Educativa (IAVE) está a invstigar uma alegada fuga de informação no exame nacional de português do 12.º ano.

Ao final da tarde desta quarta-feira, o IAVE voltou a emitir um comunicado explicando que "os processo de denúncia ocorrem ocasionalmente, sendo sempre encaminhados para a IGEC (Inspeção Geral de Educação e Ciência) e para o Ministério Público que apuram responsabilidades e determinam as sanções a aplicar, quando tal se justifique".

Em causa está uma gravação áudio que esteve a circular nas redes sociais e no Whastapp dias antes da prova que teve lugar segunda-feira.

Caso seja comprovada a fuga de informação antes da realização do exame, de acordo com o regulamento em vigor, a prova deverá ser anulada. "O que foi dito na gravação foi exatamente o que saiu", afirmou Miguel Bagorro ao Expresso. E os tópicos coincidiram com o que acabou por sair no exame.

O Ministério da Educação continua em silêncio sobre este assunto, enquanto os 74.067 alunos que resolveram a prova estão sem saber o que vai acontecer. Na altura, o diário i questionou o Ministério da Educação sobre a suspeita de fuga durante o fim de semana e, na altura, o IAVE garantiu que "não houve qualquer publicação" do exame no site.

Comentários