J&F desiste de vender Alpargatas para Itaú-Unibanco

Ajustar Comente Impressão

A Cambuhy e o Itaúsa podem pagar entre 3,3 bilhões e 3,5 bilhões de reais por uma participação majoritária na Alpargatas SA, disseram duas fontes com conhecimento do assunto.

A Cambuhy Investimentos e a Itaúsa estão trabalhando para fechar os termos de um acordo já na próxima semana, quando acaba o período de exclusividade com a acionista controladora da Alpargatas, a J&F Investimento, que pertence aos irmãos Batistas, donos do JBS, disse uma das fontes.

A Cambuhy e a Itaúsa haviam oferecido entre R$ 3,3 bilhões e R$ 3,5 bilhões à J&F pela Alpargatas, conforme noticiado ontem (domingo, 9) pela Reuters.

América Latina em ativos. A empresa é o primeiro dos ativos da J&F a ser colocado à venda na esteira do envolvimento da família Batista no maior escândalo de corrupção do Brasil. A Cambuhy é a empresa da família Moreira Salles, também acionista do Itaú.

Cambuhy, Itaúsa e Bradesco não comentaram os rumores, assim como a J&F não emitiu novo comunicado. Os proprietários da J&F, Joesley e Wesley Batista, assinaram um acordo de leniência em maio após admitirem ter subornado quase 1.900 políticos.

Este poderá ser, assim, um dos primeiros activos da J&F a ser vendidos, aproveitando a valorização que a Alpargatas tem tido este ano em bolsa.

A J&F comprou o controlo da Alpargatas à Camargo Corrêa em 2015, tendo desembolsado, então, 2,61 mil milhões de reais, mas entretanto vendeu algumas acções.

A venda da Alpargatas, Vigor e Eldorado poderia arrecadar 10 bilhões de reais e reduzir as dívidas da J&F em mais de 10 bilhões de reais, informaram pessoas próximas às estratégias da família à Reuters, no domingo.

Comentários