PIB na zona euro cresceu 0,6% no segundo trimestre

Ajustar Comente Impressão

Segundo as séries estatísticas do organismo europeu, é primeira vez em mais de 11 anos que este desempenho se verifica no mercado laboral português.

A taxa de desemprego na zona euro desceu ligeiramente para 9,1% em junho, face aos 9,2% registados no mês anterior.

O desemprego jovem foi, em junho, de 23,4%, que se compara com os 26,7% homólogos e os 23,9% de maio.

Na União Europeia, a taxa de desocupação foi de 7,7% em junho, permanecendo como a menor taxa desde dezembro de 2008.

As taxas de desemprego mais baixas foram registadas na República Checa (2,9%), na Alemanha (3,8%) e Malta (4,1%) e as mais elevadas na Grécia (21,7% em abril) e em Espanha (17,1%).

Olhando para os dados gerais, constata-se que Portugal é o sétimo país com uma percentagem mais elevada de cidadãos que não conseguem ir de férias, tendo ao lado a Itália (47,2%) e a Hungria (50,7%).

Em sentido inverso, os países onde menos pessoas deixaram de ter pelo menos uma semana de férias por ano devido às suas condições financeiras são a Suécia (8,2%), o Luxemburgo (13,1%) e a Dinamarca (13,7%).

Comentários