Estado Islâmico volta a ameaçar Península Ibérica, agora em castelhano

Ajustar Comente Impressão

Quase uma semana depois dos atentados na Catalunha, o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) publicou um novo vídeo no qual celebra as mortes em Barcelona e Cambrils e faz um apelo por novos ataques terroristas. Numa mensagem divulgada nas redes sociais, um jihadista de cara descoberta, fala um castelhano com sotaque árabe: "Com a permissão de Alá, Al-Andalus voltará a ser o que sempre foi: terra do califado".

Em fevereiro do ano passado, numa destas mensagens a organização terrorista ameaçou Portugal e Espanha e jurou recuperar a Península Ibérica. De acordo com a polícia espanhola, Abu Lais é Muhammad Yasin Ahram Pérez, um jovem de 22 anos que nasceu em Córdova, filho de uma espanhola e de um marroquino.

"Façam a jihad onde quer que estejam, e Alá será complacente convosco", conclui.

O homem que fala no vídeo é identificado como Abu Lais Al Qurdubi que afirma, depois de serem vistas várias imagens sobre o atentado em Espanha: "Se não podes fazer a viagem até ao Estado Islâmico, não te esqueças que a jihad não tem fronteiras, faz a jihad onde estiveres, insha'Allah [se Deus quiser], Alá estará do vosso lado".

No vídeo aparecem imagens do Rei Felipe VI e de Mariano Rajoy.

O segundo terrorista, que aparece de cara coberta e se identifica como Abu Salman al Andalusi, "O Andaluz", repete, com um castelhano que parece não ser nativo, que "a nossa guerra contra vocês é até ao fim do mundo". A Espanha, tal como Portugal, faz parte da coligação internacional contra os jihadistas, que combate na Síria.

"Que Alá aceite os sacrifícios dos nossos irmãos em Barcelona".

Para o ISIS, este território tem um valor simbólico por ter sido uma das raras regiões a ter estado séculos sob governo muçulmano - nomeadamente entre os séculos VIII e XV - e perdida para controlo de estados não islâmicos.

Comentários