Furacão Irma já chegou ao extremo sul da Florida

Ajustar Comente Impressão

Este fenómeno é, segundo o instituto meteorológico Météo France, o mais longo furacão de categoria 5 na escala de Saffir-Simpson alguma vez registado no mundo, mantendo-se nesse grau, com ventos de 298 Km/hora, há mais de 33 horas.

O Ministério das Comunicações desmontou as antenas de sinal Wi-Fi na região afetada para evitar danos materiais, e elas serão recolocadas assim que o furacão passar.

"Irma continua sendo um furacão extremamente perigoso!", escreveu no Twitter o Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos. Atravessando neste momento o norte do Haiti, o Irma já matou 17 pessoas e afetou mais de dois milhões de pessoas no Caribe.

Com estas chuvas chegaram também os primeiros cortes de luz, apesar de os enormes ventos do furacão, de 215 quilômetros por hora, com sequências mais fortes, quase não serem sentidos ainda em Miami. O boletim das 8 a.m.do National Hurricane Center mostra que Irma perdeu força sobre Cuba, sustenta ventos de 130 mph e se move a 12 mph no sentido da Costa Oeste da Flórida.

Sete cidades a sul do lago foram evacuadas, depois de as autoridades federais estimarem que "haverá impactos adicionais do vento excessivo, que empurra um pouco de água sobre o dique", indicou um comunicado do seu gabinete. Para minimizar o problema, caminhões continuam realizando o transporte de combustíveis para as cidades ao sul do estado, enquanto for possível.

"Não é tarde para abandonar as Keys!", insistiu a agência. As operações de embarque e desembarque serão realizadas em Cozumel neste mesmo dia. "Por favor, as Keys não são seguras". Uma retirada obrigatória de residentes da costa atlântica da Geórgia foi agendada para começar no sábado, segundo o governador do estado, Nathan Deal.

As autoridades de West Palm Beach decretaram um toque de recolher no sábado, enquanto em Miami Beach a avenida Ocean Drive, geralmente lotada com suas famosas lojas e restaurantes, estava deserta. Em Porto Rico, mais da metade dos três milhões de moradores ficou sem eletricidade; Barbuda foi "totalmente devastada"; e sem San Martin não havia água potável, combustíveis e as estradas ficaram intransitáveis.

E os esforços de socorro na região enfrentam um novo desafio: o furacão José, de categoria 4, que deve atingir a zona do Caribe ainda neste sábado.

No Golfo do México, o furacão Katia tocou terra já durante a noite de sexta-feira, a norte de Tecolutla, México, enfraquecendo para o estatuto de tempestade tropical.

Comentários