Espanha multa Facebook em € 1,2 milhão por violar privacidade de dados

Ajustar Comente Impressão

De acordo com o Facebook, a segmentação de pessoas em conteúdo relevante para assuntos que elas indicaram interesse é amplamente utilizada pelo setor de publicidade digital e é diferente de mostrar conteúdo baseado em dados pessoais fornecidos pelos usuários.

Além da monitorização de utilizadores da maior das redes sociais, a Facebook também recolhe informação de utilizadores que não estão registados na rede social.

O Facebook foi multado em 1,2 milhões de euros, cerca de R$ 4,5 milhões, pela Agência Espanhola de Proteção aos Dados (AEPD), por não respeitar a privacidade de usuários e coletar dados sem autorização e sem avisar que os mesmos seriam utilizados pela empresa.

A agência constatou "que o Facebook compila dados sobre ideologia, sexo, crenças religiosas, gostos pessoais ou navegação sem informar de forma clara sobre o uso e a finalidade que vai dar aos mesmos".

A AEPD disse também o que Facebook coleta sem pedir permissão as preferências dos usuários em páginas alheias. Isso acontece mesmo que o utilizador tenha deletado seu perfil, com os dados permanecendo armazenados nos servidores por mais do que 17 meses, prazo legal pelo qual as empresas de internet precisam manter tais métricas.

Em nota ao The Next Web, o Facebook afirmou que irá recorrer à multa porque "respeitosamente discorda da decisão". Em comunicado, o órgão frisou que o site de Mark Zuckerberg coletou informações sem a "permissão inequívoca" dos internautas e sem informá-los sobre como esses dados seriam usados. "A rede social usa especificamente dados protegidos para propaganda, entre outros propósitos, sem obter o consentimento expresso dos usuários como determina a lei de proteção de dados", diz o órgão. Além disso, o Facebook disse estar se adequando às novas leis relacionadas à proteção de dados dos usuários, estando no caminho do cumprimento do prazo dado pelo governo para isso, que se encerra no ano que vem.

Comentários