"Brasil nunca chegou a ser uma ditadura", defende Zezé Di Camargo

Ajustar Comente Impressão

"O Brasil lutou muito pela democracia".

Esse último tema foi levantado quando o cantor se disse apaixonado por programas jornalísticos no rádio e na TV e revelou sonhar com uma atração em que o apresentador desse a notícia e, em seguida, expressasse sua opinião como cidadão. "O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daquelas que ou você é a favor ou você está morto", declarou ele, na entrevista.

"Me considero um cara muito politizado". "Já conversei com alguns políticos, eles ficam impressionados com meus conhecimentos políticos", disse. Muita gente confunde militarismo com ditadura, todo mundo fala 'nós vivíamos numa ditadura'. Ditadura é a Venezuela, Cuba com o Fidel Castro, Hungria, Coreia do Norte, China, esses são realmente ditadores.

Leda argumentou que houve prisão e tortura.

Ao que o músico respondeu: "Mas não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta, como a gente vive até hoje, no mundo de hoje". Leda Nagle então questionou o que era uma ditadura e lembrou que muita gente foi presa e torturada no Brasil. E concluiu, seguro de si: "Eu imagino que o Brasil hoje precisaria passar por uma depuração". "E o prêmio 'pau no cu' do ano vai para.", escreveu ele, compartilhando um link com a entrevista de Zezé. "(O país) até podia pensar no militarismo para reorganizar a coisa e 'entregar' de novo", explicou. "Porque vejo cada absurdo as pessoas falarem dentro da política.". Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caso Você publique comentários contrariando as proibições da cláusula 1 acima ou contrariando qualquer outra disposição deste Termo de Uso, a Gazetaweb.com poderá, a seu exclusivo critério, excluir o comentário ou bloqueá-lo como Usuário, a qualquer tempo e sem qualquer aviso prévio.

Atenção! Os comentários do site são via Facebook!

Comentários