Macaco que tirou selfie vai receber 25% de receitas

Ajustar Comente Impressão

O fotógrafo David Slater e a organização "Pessoas pelo Tratamento Ético de Animais" (Peta) entraram em acordo e encerraram nesta segunda-feira (11) uma longa batalha judicial envolvendo uma selfie de um macaco chamado "Naruto".

Selfie de Naruto, o macaco-de-crista da Indonésia, tirada com a câmara do fotógrafo David Slater. Entretanto, um grupo de macacos aproximou-se do local onde estava Slater.

A fotografia tornou-se um êxito, quando David Slater a publicou num livro da sua autoria.

Cansado com a situação, Slater avançou para tribunal em 2015. Um tribunal de S. Francisco sentenciou que o macaco não tem personalidade jurídica e, portanto, não lhe cabe a cobrança de quaisquer direitos, nem de direitos transferíveis para qualquer fundo ambientalista ou animalista.

A disputa arrastou-se durante cerca de dois anos, com a PETA, em representação do macaco, a reclamar para ele os direitos autorais das selfies tiradas com a câmara de Slater, em 2011, durante uma viagem deste à Indonésia.

A justiça norte-americana decidiu em favor de David Slater, em Janeiro de 2016, mas a PETA recorreu. A organização argumentou então que se tratava de uma violação dos direitos de autor. O fotógrafo prometeu doar 25% das receitas obtidas com a utilização e venda da "selfie" do macaco a instituições de caridade que protejam o habitat dos macacos, na Indonésia.

Comentários