Quase 3,5 milhões sem eletricidade com passagem do Irma na Flórida

Ajustar Comente Impressão

Levem o necessário, mas só o necessário".O governador advertiu ontem que todos os habitantes do Estado - 20 milhões - devem preparar-se para a possibilidade de terem de ser retirados."Esta tempestade é maior que o nosso estado.

O condado mais afetado é Monroe, onde ficam as ilhotas e uma parte da costa do sudoeste, onde 76% dos lares não contam com fornecimento, no momento em que o Irma ainda impacta essa parte do estado com seus ventos máximos constantes de 215 quilômetros por hora.

Outro dos condados mais afetados é o de Miami-Dade, o mais povoado da Flórida, com 81% do total de clientes sem eletricidade.

"Creio que o que veremos na costa oeste é uma reconstrução total da nossa rede elétrica", sublinhou Robert Gould, acrescentando que a tarefa pendente é "gigantesca".

Tinha depois reduzido de intensidade, descendo para a categoria 3, mas voltou à categoria 4 (numa escala de 5) ao aproximar-se da Florida.

Os últimos voos programados da American Airlines e da Delta Air Lines deixaram o Aeroporto Internacional de Miami nesta última sexta-feira à noite, já que as principais companhias aéreas cessaram suas operações no sul da Flórida antes que o furacão Irma atinja a região.

Segundo o mais recente balanço oficial, o Irma fez três mortes na Flórida, mas teme-se que o número de vítimas aumente à medida que as condições meteorológicas forem permitindo maior acesso por parte das equipas de salvamento e resgate. "O melhor que se pode fazer agora é rezar", disse Rick Scott, no domingo, à cadeia televisiva ABC.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que assinou, no domingo, uma declaração de "grande desastre" na Florida, anunciou que vai visitar aquele estado "muito em breve" e manifestou-se satisfeito com a resposta dada ao furacão Irma.

As interrupções generalizadas se estendem de Florida Keys até o centro do estado.

Descarregue a nossa App gratuita.

Comentários