Milhares de pessoas manifestam-se no centro de Londres contra Brexit

Ajustar Comente Impressão

Griveaux exprimiu a sua satisfação com o anúncio feito na segunda-feira pela seguradora norte-americana Chubb, que escolheu Paris para a sua nova sede europeia, e lembrou que já foram anunciadas as transferências para a capital francesa de parte da atividade do banco britânico HSBC e de bancos franceses que estavam implantados no Reino Unido.

A "Marcha do Povo" reivindica uma reconsideração do 'Brexit' e a união do Reino Unido no apoio a uma visão que deixe a porta aberta à permanência na União Europeia.

Segundo dados do governo, houve 26% a mais de deportações de cidadãos europeus nos três primeiros meses de 2017 do que no mesmo período do ano passado.

Apesar disso, as organizações que trabalham diretamente com os imigrantes dão conta de que a abordagem da primeira ministra não foi aplicada apenas a imigrantes ilegais, mas também a todos os que não tenham residência no país e que estão a ser deportados à força. Porém, a oferta gera dúvidas, uma vez que o governo de Theresa May quer abandonar a jurisdição da justiça europeia, que é a que vela para que esses direitos sejam mantidos.

Mas, segundo a legislação da UE, os cidadãos europeus têm o direito a permancer no terreitório britânico, exceto em situações de abuso como fraudes ou casarem por conveniência para ficarem no país.

Segundo o jornal The Independent, alguns membros da União Europeia têm optado por sair do país, alegando "que já não se sentem bem-vindos". No mês passado, o governo teve que se desculpar após mandar uma carta para 100 europeus informando erroneamente que eles seriam deportados.

Milhares de pessoas se reúnem no centro de Londres neste sábado para protestar contra a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), processo conhecido como Brexit. A comissária acrescenta que o Brexit foi uma "decisão soberana" e que, por isso, não deve haver uma punião para a Grã-Bretanha. Não queremos nem um euro a mais, mas também nem um euro a menos daquilo que o Reino Unido deve pagar.

Comentários