Londres não renova licença de aplicativo e taxistas comemoram

Ajustar Comente Impressão

O regulador questiona os controlos que a Uber, que gere uma aplicação telefónica de serviços de transporte de passageiros, faz aos seus motoristas, bem como a sua atitude perante possíveis delitos graves.

As autoridades responsáveis pelo transporte de Londres informaram nesta sexta-feira (22) que não vão renovar a licença do Uber, afirmando que a companhia não é "idônea e competente" para operar na cidade.

A plataforma online de aluguer de carros norte-americana, Uber, perdeu a licença para operar em Londres, Reino Unido. Cerca de 40 mil motoristas credenciados operam em Londres por meio do aplicativo, atendendo 3,5 milhões de clientes.

Mesmo assim, o prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou que apoia a decisão da TfL.

A decisão da TfL da não renovação da licença, válida até dia 30 de setembro, foi baseada na "falta de responsabilidade corporativa em relação inúmeras situações que podem pôr em causa a segurança pública", disse a entidade.

"Os motoristas que usam Uber são licenciados pela Transport for London e passaram por as mesmas verificações de antecedentes DBS dos motoristas de táxis".

Como a empresa terá 21 dias para recorrer da decisão, os carros do Uber continuarão a poder circular pela cidade durante esse período do processo.

"Mas todas as empresas devem respeitar as normas e aderir às regras vigentes, especialmente no que se refere à segurança dos clientes", adiantou.

Tal como em Portugal, a Uber foi alvo em Londres de grande contestação por parte dos taxistas. Se o fizer, a empresa tem permissão para seguir operando até esgotarem seus recursos na Justiça.

Comentários