Petrobras foi seletiva na escolha dos blocos arrematados na Bacia de Campos

Ajustar Comente Impressão

A 14ª Rodada de Licitação de blocos de petróleo e gás terminou com bônus total de recorde de 3,842 bilhões de reais, com 95 por cento desse montante sendo arrecadado em lances por blocos na Bacia de Campos feitos pela Petrobras e a norte-americana Exxon. Juntas, as duas empresas arremataram seis áreas na bacia de Campos por R$ 3,59 bilhões, 93% dos R$ 3,84 bilhões arrecadados no leilão. "[As] propostas no fim foram acima do esperado, mas não estavam fora do radar que se tinha pela atratividade das áreas ofertadas", resumiu ele, após o leilão. A quantidade de áreas arrematadas, porém, foi uma das menores entre todas as rodadas: só 12,9% dos 287 blocos tiveram ofertas -na quinta rodada, em 2003, foram 11%.

Em outra disputa, a Petrobras/ExxonMobil venceu a australiana Karoon, oferecendo R$ 31 milhões pelo bloco CM-344. "Fomos realmente seletivos. Não ganhamos todas".

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse que a participação da companhia na 14ª Rodada confirmou a posição da empresa de ser seletiva e buscar oportunidades para manter suas reservas num "nível adequado". "Isso demonstra que estamos pagando aquilo que achamos que vale". E avaliar na medida do possível qual vai ser o nível de competição que vamos ter nesse leilão.

A empresa concorreu por duas áreas na Bacia de Campos, ao lado da Repsol, e as perdeu para o consórcio liderado pela Petrobras em parceria com a ExxonMobil.

Comentários