Facebook pede "nudes" aos usuários para combater vazamentos

Ajustar Comente Impressão

O Facebook está a pedir nudes aos utilizadores para combater a pornografia. Com isto, a rede social quer impedir que as fotos sejam divulgadas mais tarde sem o consentimento dos visados. Assim, se alguém tentar partilhar esse conteúdo com os demais no Facebook, no Messenger ou no Instagram não vai conseguir.

Especialistas em direitos de privacidade aplaudiram a iniciativa e destacaram a atuação do Facebook em combater a pornografia da vingança - logo a rede que, com milhões de usuários, podia ser usada por abusadores de maneira a maximizar os danos às vítimas dado o alcance do material. Caso você não saiba, pornô de vingança é "o ato de expor publicamente, na internet, fotos ou vídeos íntimos de terceiros, sem o consentimento dos mesmos, mesmo que estes tenham se deixado filmar ou fotografar no âmbito privado". Este fenómeno está, na sua maioria das vezes, associado aos relacionamentos.

"Nós vemos tantos casos em que, talvez, as fotos e os vídeos foram feitos de forma consensual na época, mas que não houve consentimento para enviar mais amplamente", conta Julia à rede australiana. Assim, o usuário que se sentir ameaçado por um ex-amante, por exemplo, pode mandar marcar as fotos íntimas a ele enviadas durante o relacionamento. Por lá, o Facebook fechou uma parceria com um órgão governamental chamado eSafety Comissioner, encabeçado por Julie Inman Grant.

A premissa é básica: se você está preocupado que suas fotos privadas caiam na internet, você pode enviá-las ao Facebook. Um analista de operações acessará o conteúdo e o marcará digitalmente.

Segundo o Instituto de Pesquisa Dados e Sociedade, cerca de 4% de usuários americanos são vítimas deste tipo de pornografia. Estimativas apontam que uma a cada cinco mulheres entre 18 e 45 anos correm risco de serem vítimas do problema.

Comentários