Bruno de Carvalho abandona Assembleia-Geral e ameaça demitir-se

Ajustar Comente Impressão

O presidente dos verde e brancos deixou a reunião sob ameaça de demissão, tendo retirado as duas propostas em causa.

Deverá haver reunião da direção nesta segunda-feira para decidir se avançam para a demissão. É do programa, meus amigos.

Imagens da Assembleia-Geral divulgadas pelo jornal "O Jogo" retratam o presidente do Sporting a afirmar que a extinção do Conselho Leonino (CL), que é uma das alterações estatutárias que pretende introduzir, fazia parte do programa que apresentou e que foi votado por 90% dos sócios na mais concorrida eleição da história do clube.

Entretanto, Jaime Marta Soares, presidente da mesa da assembleia geral do Sporting, esclareceu os incidentes que marcaram a assembleia do clube leonino. Estiveram presentes cerca de 800 associados, os quais, depois de tudo somado, corresponderam a cerca de cinco mil votos. "Dos oito pontos da ordem de trabalhos, seis foram aprovados". O momento esteve quente, mas sem ultrapassar os limites do bom senso.

"Dizer que Bruno de Carvalho abandonou a AG é um termo muito forte". "Saiu naturalmente da sala".

Ainda em plena assembleia, Bruno de Carvalho manifestou a sua posição, deixando o pavilhão multidesportivo logo de seguida, acompanhado por mais elementos do Conselho Diretivo.

Os pontos seis (alteração dos estatutos do clube) e sete (regulamento disciplinar) eram, à partida, os mais controversos da Assembleia-Geral, hoje realizada em Alvalade, e que, face à acesa contestação de alguns sócios, motivaram a suspensão da reunião magna do clube e o abandono do dirigente máximo leonino.

"Falta de calma levou a desrespeito entre alguns sócios e quisemos acalmar a situação".

Comentários