São Paulo perde para o São Caetano na estreia de Diego Aguirre

Ajustar Comente Impressão

Ele definiu a jornada como uma "tarde triste" na derrota por 1 a 0 para o São Caetano, que abriu o duelo entre os times pelas quartas de final do Campeonato Paulista e marcou a estreia do técnico Diego Aguirre. Aguirre ainda terá segunda-feira para trabalhar a equipe antes da decisiva partida de terça-feira, às 21h, no Morumbi.

No Morumbi, o time vai precisar de uma vitória de dois gols de diferença para garantir a classificação para a semifinal ou pelo menos uma vitória simples para ir para os pênaltis. O dirigente admitiu que o Tricolor fez péssimo jogo.

Ao São Caetano basta o empate para seguir avançando no Estadual.

SÃO PAULO: Sidão; Militão (Bruno, aos 26'/2ºT), Arboleda, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Jucilei (Liziero, aos 39'/2ºT) e Petros; Nenê, Cueva (Marcos Guilherme, aos 15'/2ºT) e Valdivia; Diego Souza. Aos 16 minutos, Rodrigo Caio teve de fazer falta na intermediária para evitar o ataque adversário.

O São Paulo teve o domínio de bola no primeiro tempo, mas errava muitos passes e o São Caetano aproveitava o contra-ataque. Na cobrança, Alex Reinaldo chutou com força, e a bola passou perto da trave direita de Jean. Jogando no estádio Anacleto Campanella, perdeu para o São Caetano por 1 a 0, com gol de Chiquinho no início do segundo tempo.

Pelo alto, o time da casa novamente chegou com perigo.

Aguirre começou o jogo com uma escalação bem similar à dos piores momentos de Dorival Júnior, com Nenê aberto na linha de armação e Diego Souza como referência.

No final do primeiro tempo, mas três oportunidades desperdiçadas pelo São Caetano. No último deles, Nonato bateu forte pela direita e exigiu boa defesa de Jean. Sete minutos depois, Alex Reinaldo alçou a bola na área, o goleiro Jean saiu mal e deixou a sobra para Chiquinho, livre, empurrar para o fundo das redes colocar o Azulão na frente. Por fim, Marcos Guilherme também manteve a cabeça erguida pela vaga.

De onde saíram as principais jogadas de gol do time do ABC.

Comentários