Promotoria denuncia Haddad por caixa dois

Ajustar Comente Impressão

São Paulo 247 - Apontado como um dos principiais articuladores do PT e cotado para compor uma eventual chapa presidencial, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad entrou na alça de mira do golpe ao ser denunciado por uso de caixa 2 da ordem de R$ 2,6 milhões durante a campanha de 2012. "Haddad omitiu informações e inclui dados inexatos que não correspondem à realidade".

O motivo da denúncia foi o recebimento não declarado de recursos da empreiteira UTC, uma das investigadas na Operação Lava Jato.

A assessoria de Haddad afirmou, em entrevista à TV Globo, que o ex-prefeito de São Paulo qualificou a denúncia "como um autêntico absurdo" e que ele irá "se defender perante a Justiça Eleitoral".

Lula cumpre desde o passado dia 7 de abril, na sede da Polícia Federal de Curitiba, uma pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, imposta em janeiro por um tribunal de segunda instância.

Em nota, a defesa de Haddad disse que "ainda não teve acesso à denúncia". "Todos os interesses da UTC na cidade de São Paulo foram contrariadas pela gestão Haddad", diz a nota assinada pelos advogados Pierpaolo Bottini e Leandro Raca. Delator da empresa UTC, Ricardo Pessoa acusou o ex-prefeito de ter pedido contribuição para financiar sua campanha eleitoral.

"O Sr. Vaccari foi tesoureiro do partido e dessa forma solicitava doações legais para o partido, que eram feitas por depósito em conta do partido, com recibo e com prestação de contas às autoridades".

Segundo o advogado criminalista Luiz Flávio Borges D´Urso, defensor de Vaccari, seu cliente "jamais foi tesoureiro de campanha e nunca solicitou qualquer recurso para campanha de quem quer que seja". O petista e mais 4 pessoas são acusadas de uso de caixa 2 em campanha.

O G1 não havia localizado os demais denunciados até a publicação desta reportagem.

Comentários