Marca de cosméticos britânica deixa o Brasil alegando alta taxa tributária

Ajustar Comente Impressão

A empresa britânica de cosméticos e conhecida por seus sabonetes, a Lush, anunciou na segunda-feira (14) o fechamento de suas lojas no Brasil. Em comunicado oficial, a empresa disse que mesmo com o crescente aumento das vendas, a alta carga tributária, alidada a recessão econômica e instabilidade política tornaram a operação impossível. A empresa utilizou as redes sociais para confirmar o encerramento das operações no Brasil.

A empresa diz que o Brasil foi um mercado importante para a marca e que ela pretende continuar contribuindo "com o debate sobre testes em animais no país e continuaremos usando muitos de nossos ingredientes - desde o cumaru até o mel orgânico obtido com base no comércio justo - vindos diretamente de comunidades locais". Talvez por isso, a Lush tenha percebido que não era uma boa ideia continuar atuando no país.

Os produtos serão vendidos pela metade do preço até que as atividades sejam encerradas ou que acabem os estoques.

A linha de produtos Charity Pot, inclusive, chegou a arrecadar R$ 280 mil no país nesses últimos quatro anos. Por conta disso, todos seus produtos estão sendo vendidos com desconto de 50%. A Lush é famosa por combater o uso de testes de animais em desenvolvimento de produtos.

"Adoramos atendê-los e gostaríamos de agradecer toda a paixão e entusiasmo de vocês sobre nossa marca ao longo desses anos".

A marca tem mais de 930 lojas em 49 países, e continuará a fazer entregas internacionais para o Brasil. Em 2004, porém, as coisas começaram a desmoronar por desentendendimentos entre os sócios brasileiros e os fundadores britânicos. O processo judicial havia sido extinto por perda de prazo, mas a empresária retomou a investida em 2014 quando a marca decidiu voltar ao Brasil e conseguiu uma reversão da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ) no início deste ano deixando a situação novamente em aberto.

Comentários