Número de mortes por H1N1 em Goiás sobe para 39

Ajustar Comente Impressão

Em relação à sua distribuição, os municípios com maior número de casos de SRAG por Influenza no Estado foram Belo Horizonte e Mariana, sendo que 14 pacientes tiveram o H3N2, um contraiu o H1N1, e dois foram diagnosticados com Influenza A não subtipado na capital. O boletim que atualizou os dados foi divulgado pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) na manhã desta terça-feira (15). Goiânia está no topo da lista com 99 casos registrados e 15 óbitos.

"A procura ainda está baixa e precisamos reforçar este alerta porque a gripe é uma doença perigosa, principalmente a Influenza A tipo H1N1", frisou a coordenadora de Imunização do Município, Miralva Cruz. Os idosos são as principais vítimas mortas (63,1%).

De acordo com o Estado de Minas, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocadas pelo Influenza está aumentando a cada semana.

Dos 53 casos de SRAG causados pela Influenza: 33 foram de Influenza A/H3 Sazonal; 5 de Influenza A/(HINI) pdm09; 12 de Influenza A não subtipado; e 3 Influenza B. Para mais detalhes do boletim da gripe, clique aqui. Foram notificados dois óbitos associados ao vírus da Influenza.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começou no dia 23 de abril e vai até 1º de junho.

Esses grupos são formados por indivíduos com 60 anos ou mais; crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes e puérperas (até 45 anos dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, na região de Araçatuba a meta é vacinar 192,5 mil pessoas no período.

Comentários