Turismo subiu 10,3% em março com o efeito da Páscoa

Ajustar Comente Impressão

"Os números revelados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), e que dão conta da atividade turística nos estabelecimentos hoteleiros e similares, mostram um crescimento muito expressivo na região no terceiro mês do ano, em relação a março de 2017", confirma a Turismo do Centro, num primeiro comentário aos dados do INE.

O aumento nos hóspedes em fevereiro tinha sido de 6,5% e nas dormidas de 6,2%, segundo o INE, que registou uma variação positiva no primeiro trimestre deste ano de 7,7% nos hóspedes e de 7,6% nas dormidas.

O mercado britânico (18% das dormidas de não residentes) recuou 5,6% em março, mantendo a tendência dos últimos meses, registando no primeiro trimestre de 2018 uma diminuição de 5,9%.

A explicação para estes resultados significativos da hotelaria algarvia, que acompanha o resto do país, é dada pelo INE: "foram influenciados pelo efeito de calendário do período da Páscoa, com impacto no final de Março". O número de hóspedes aumentou 11,6% para 1,5 milhões, enquanto as dormidas cresceram 10,3% para quatro milhões face a igual período do ano passado. Isto porque as dormidas de residentes (10,5%) aceleraram, superando o crescimento das dormidas de não residentes (6,4%).

"De notar que a subida foi tão significativa entre os visitantes nacionais como entre os estrangeiros: as dormidas provenientes de hóspedes nacionais cresceram 18,1%, para 221.943, enquanto as dos estrangeiros tiveram um aumento de 16,4%, para 156.889", destaca a Turismo do Centro.

As dormidas de hóspedes alemães (16,4% do total) apresentaram uma ligeira redução em março (-0,2%), mas desde o início do ano cresceu 1,3%. Já no que se refere apenas ao mês de Março, o INE destaca os crescimentos registados nos mercados norte-americano (+17,7%) e italiano (+10,9%). Em Março, as dormidas de britânicos recuaram 5,6%, enquanto no trimestre a quebra é já de 5,9% - a segunda maior quebra (a mais expressiva foi a dos Países Baixos) mas a mais importante em termos de número de dormidas. Do lado dos estrangeiros, evidenciaram-se os crescimentos de 22,8% dos turistas da Suécia, de 22,3% dos turistas dos Estados Unidos ou de 16,3% dos turistas do Brasil.

A actividade continua a crescer ao longo de todo o território, com particular destaque para o Alentejo, que cresceu 29,9%, mas também para o Norte, que expandiu 18,9%, e Centro, com +17,4%.

A estada média de 2,64 noites reduziu-se 1,1% devido aos não residentes (-3,2%), já que a estada média dos residentes aumentou 4,7%. O Norte, Alentejo e Centro foram as regiões com mais crescimento nestas variáveis.

Comentários