"Estou feliz pela reação dos verdadeiros adeptos do Sporting" — Bas Dost

Ajustar Comente Impressão

Os jogadores do Sporting emitiram comunicado, nesta quarta-feira, em que afirmam estar abalados psicologicamente após invasão da torcida no CT do clube.

Os torcedores invadiram o centro de treinamento encapuzados e não pouparam ninguém das agressões.

A secretária de Estado Adjunta do governo, Isabel Oneto, informou em coletiva de imprensa que 21 pessoas foram presas.

O presidente Bruno de Carvalho, que usou a já muito polémica e comentada expressão "foi chato" para se referir aos acontecimentos em Alcochete, considera ainda que o Governo e das entidades que tutelam o desporto em Portugal têm "muita responsabilidade" pelo que aconteceu no centro de treinos do clube, sobretudo pela "inércia" que têm demonstrado.

Não podemos de forma alguma pactuar com actos de vandalismo e agressão a atletas, treinadores e staff do Futebol Profissional, nem com atitudes que configuram a práctica de crime que em nada honram e enobrecem o Sporting Clube de Portugal. Um dos mais feridos foi o atacante holandês e artilheiro da equipe, Bas Dost, que foi espancado e ficou com cortes na cabeça, segundo a emissora "CMTV".

Ainda segundo a imprensa lusa, o argentino Marcos Acuña e o croata Josip Misic também foram agredidos. Até o técnico Jorge Jesus acabou sofrendo com a violência dos invasores e foi atacado com uma cabeçada. Um deles é André Geraldes, atual braço direito de Bruno de Carvalho e diretor desportivo do futebol do Sporting.

Após as críticas públicas do mandatário do clube, os jogadores não se entenderam mais com o presidente.

A juntar às agressões de Alcochete, o Sporting vive outro "drama" e já confirmou as buscas em instalações do clube no âmbito de uma investigação que se encontra em segredo de justiça, e indica que dois colaboradores foram constituídos arguidos.

Comentários