Polícia Civil faz operação contra rede de pedofilia em Goiás

Ajustar Comente Impressão

A ação de combate à pornografia infantil reúne 2,6 mil policiais civis. Segundo a Polícia Civil, vídeos e fotos com pornografia infantil foram encontrados nos dispositivos deles.

"Trabalhamos com peritos criminais que estão fazendo a perícia 'in loco'".

Caso os agentes encontrem o material durante o cumprimento do mandado, os investigados são presos em flagrante.

Amaral aponta ainda que esse grupo está envolvido em uma rede internacional de pornografia infanto-juvenil. O bando e o arquivo de dados é muito grande e passará por uma perícia. Na ocasião, 112 pessoas foram presas em todo país.

Foram meses de investigações e minucioso rastreamento de transferências e compartilhamentos de arquivos com conteúdo de exploração sexual de crianças e adolescentes, a fim de que fossem obtidas as localizações exatas dos alvos, segundo a polícia. Pedófilos são pessoas adultas (homens e mulheres) que têm preferência sexual por crianças - meninas ou meninos - do mesmo sexo ou de sexo diferente, geralmente pré-púberes (que ainda não atingiram a puberdade) ou no início da puberdade, de acordo com a OMS. Esse conhecimento produzido durante quatro meses foi repassado às Polícias Civis - em especial Delegacias de Proteção à Criança e Adolescentes - DPCA e Repressão aos Crimes de Informática DRCI - que instauraram inquéritos e solicitaram aos juízes locais a expedição dos mandados que foram deferidos com apoio do Judiciário, por meio da Central de Inquéritos em Teresina/PI. Conforme o artigo 241-B do ECA é considerado crime, inclusive, o ato de "adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente".

Comentários