Operação "Cashball": Ministério Público confirma quatro detidos, dois são funcionários do Sporting

Ajustar Comente Impressão

Como a SIC denunciou ontem com o esquema passaria pela alegada "compra de equipas de arbitragem, quer para os leões ganharem, quer para o Futebol Clube do Porto, com o qual disputaram o campeonato até ao fim, perder" e abrangeu a época de 2016/17, ganha pelo Sporting. O Correio da Manhã avança que um dos detidos é André Geraldes (diretor do futebol do Sporting). Depois das denúncias de viciação de resultados no campeonato de andebol 2016-17, surgem dados que apontam para um alargamento do esquema ao futebol. Confirmou tudo que tinha dito nos anteriores interrogatórios.

A PJ anunciou ao final da manhã a detenção de quatro pessoas durante buscas realizadas na SAD do Sporting, em Alvalade (Lisboa), por "suspeitas de corrupção ativa". Nas mensagens escritas (também através de WhatsApp) constam instruções de pagamentos, de encontros com árbitros e com jogadores de futebol. Os valores poderão ter atingido 12.500 euros.

Além deste, estarão também em causa os restantes cinco jogos do Sporting nas seis primeiras jornadas na presente época da I Liga, com Desportivo das Aves, Vitória de Setúbal, Estoril Praia, Feirense e Tondela.

Refira-se ainda que André Geraldes não prestou qualquer declarações aos jornalistas.

A propósito do caso ontem revelado pelo jornal Correio da Manhã (CM), a PGR confirma a existência de "um inquérito relacionado com a matéria" e dirigido pelo MP do Departamento de Investigação e Acção Penal do Porto. "O Sporting CP pauta a sua atuação pelo respeito pela legalidade, transparência e lisura de todos os seus atos", lê-se em comunicado da direção do Sporting e da administração da SAD, que hoje estiveram reunidas. Ou seja, não é necessário que o alegado ato de favorecimento tenha sido executado.

O perfil do LinkedIn de Gonçalo Rodrigues, feito pelo próprio, diz que trabalha no clube há dois anos e um mês.

Comentários